Doutor? Só se tiver doutorado!

dotourandosAs brincadeiras em torno desse título são muitas, tenho um amigo que chama quase todo mundo de “Dr.”.   “Diga Doutor!”, “Olá doutora”, “Como vai Doutor”. Políticos são chamados de “Dr.”, ou mesmo qualquer pessoa que esteja de carro é assim chamado por um flanelinha, Dr. é quem “tem” dinheiro.

Antigamente qualquer pessoa que saía da sua cidade provinciana para estudar já voltava automaticamente doutor. Antigamente? Acho que hoje em dia, acredite, no ano 2009 ainda é assim em certas localidades(?). Afastando-se das localidades, das brincadeiras e mesmos dos amigos “bestas” que agente chama de doutor, existe profissões que até hoje muitos chamam de doutor, motivo? Acho que os principais motivos são a tradição, e pura babação. O fato é que Médicos, advogados são tradicionalmente chamados assim e o título se estende aos demais profissionais de saúde. Ou me diga como você chama seu dentista? Eu chamo Dra. ***. O dentista é Dr., o fisioterapeuta é Dr., o nutricionista é Dr., o psicólogo é Dr., o fonoaudiólogo é Dr., o enfermeiro é Dr. o mais interessante é notar que o próprio conselho de enfermagem autoriza os enfermeiros a usarem o título de doutor¹. O engenheiro civil (para o pião com certeza é) muitas vezes é Dr.

Acho que um dos motivos de tal confusão é feita pelo nosso próprio dicionário² que define doutor como: aquele que ensina; homem erudito; sabedor; aquele que recebeu o mais elevado grau numa faculdade universitária; [por extensão] forma de tratamento social que se dá a qualquer indivíduo bacharel ou licenciado.

Será que o nosso dicionário está correto?

Aquele que ensina é professor, um homem erudito pode ser qualquer homem(mulher) sábio, ou que tenha vasto conhecimento, sabedor é alguém informado, aquele que recebeu o mais elevado grau na faculdade universitária esse sim é o verdadeiro doutor, porque fez mestrado e depois doutorado ( ou seja, estudou muuuito e defendeu tese), tratamento social que se dá a qualquer indivíduo bacharel ou licenciado, esse aí já ta dizendo é bacharel ou licenciado.

De onde vem esse titulo tão confuso e ao mesmo tempo ambicionado?

Creio eu que Dr.(médico) vem de doctor³ nome que corresponde ao nosso médico em inglês, assim a abreviação de doctor é “Dr.”, como nós brasileiros gostamos muito (eu não gosto) de imitar os norte-americanos aderimos também ao Dr. assim eu entendo que nós deveríamos chamar os nossos queridos médicos de Md. *** . Com isso não estou querendo desmerecer os médicos que estudam tanto, antes, durante e depois da faculdade. (se bem que todo profissional deve ou pelo menos deveria estudar muito antes, durante e depois).


Acho também que a questão (que já tratei) de quem saía pra estudar independente do curso e voltava doutor, acho que daí vem à compreensão do nosso dicionário a respeito do bacharel e do licenciado (usual).


O nosso dicionário não está errado só mostra o que significa doutor, e isso até informalmente.


Com o uso “indevido ou não” do termo,  quem “sofre” são os DOUTORES aqueles que muito estudam, que deixam muitas vezes suas famílias para ir para outra cidade ou outro pais estudar muito, que abrem mão do(a) namorado(a) querido(a) e no caso das mulheres é ainda pior adiam por alguns anos o sonho ser mãe. E fazem suas pesquisas contribuindo com diversas áreas de conhecimento.


Por todos esses motivos, em minha opinião, por mais nobre que seja uma profissão só deve receber o título de Dr. após o doutorado até lá devem ser chamados de bacharéis, licenciados, especialistas, mestres e aí sim doutor. Até lá devem ser “Md.”, Adv.°, Eng., Enf., Psi., Odont.,Bioq.,Farm.,Fga., entre outros.


E nada de conselho conferir esse título a qualquer que seja o profissional, é hora de valorizar cada profissão e incentivar nossos estudantes a serem verdadeiros DOUTORES, sejam eles médicos, advogados, fisioterapeutas, arquitetos, químicos, geógrafos, administradores, psicólogos, odontólogos, enfermeiros, nutricionistas, engenheiros, filósofos, biblioteconômicos, arquivistas, fonoaudiólogos….


¹ http://www.portalcofen.com.br/2007/materias.asp?ArticleID=7087&sectionID=34
² http://www.priberam.pt/dlpo/definir_resultados.aspx
³ http://www.rogeriomarques.com/2008/04/dr-phd-md-e-ceo-entenda-essas-abreviaes.html

Ps: Eu não tenho obrigação de saber abreviar profissão nenhuma.

EDITADO:

Retificando: Se os conselhos dão oportunidade de um determinado profissional ser chamado de Dr., ótimo!  Agora o que não dá é pensar que quem é médico, advogado ou fisioterapeuta (ou qualquer outro profissional a quem é concedido usar no seu jaleco o titulo de Dr.) é DOUTOR de verdade, eu respeito, é um titulo informal. Que eu, por exemplo, não tenho problemas em usar, mas Dr. é diferente de DOUTOR.

Talvez seja por isso que ultimamente os verdadeiros DOUTORES são tratados (preferem ser) como “Prof. Doutor Fulano de Tal”.

Leia também:

<a href="http://”>http://coisasdestavida.wordpress.com/2009/03/25/dr-e-com-doutorado/

About these ads

34 thoughts on “Doutor? Só se tiver doutorado!

  1. “O engenheiro civil (para o pião com certeza é) muitas vezes é Dr.”

    Hahaha. E pior que é. Às vezes a gente chega até a se sentir mal, mesmo tendo o título.

    Eu já escrevi sobre isso no Fraülein.

    Como muitos dos que gostam de me provocar, eu não fiz doutorado para ser chamado de Doutor Júnior. Foram quatro anos de pura dedicação, onde eu tive de abdicar de muitas coisas que eu também considerava importantes para mim.

    E nada pior que, depois de tudo, estar caminhando pela rua e topar com aquele teu vizinho recém formado em Odontologia, ostentando um “Dr. Fulano de Tal” na placa do consultório. Argh!

    Ser doutor, significa na melhor das hipóteses, ser alguém com grande interesse em ensino e/ou pesquisa.

    Digo “na melhor das hipóteses” porque, infelizmente, há uma infinidade de outros motivos menos nobres para almejar esses títulos. Vaidade e marketing pessoal, para começo de conversa. Subir na carreira universitária, melhorar o salário… E por aí vai!

    Ganhar dinheiro todo mundo quer, só não dá pra esquecer do precioso ingrediente que se faltar, não te leva nem ao fim da graduação: Vocação!

    Beijos!

  2. Pelo que entendi, a autora do texto acima deve possuir o verdadeiro título de Doutor. Parabéns! Almejo algum dia possui-ló também, mas ainda sou acadêmico de medicina. Não doutor. Em partes concordo com o valor que você atribuiu ao grande titulo de doutor, porém tenho uma dúvida e imagino que voçê, pessoa letrada, possa me ajudar.
    Quando foi atribuído o primeiro título de verdadeiro doutor? Qual foi a Universidade que proporcionou essa graduação? Qual o país?
    Essa é minha dúvida, pois o tratamento de doutor(imagino?) para o médico vem de muitas gerações atrás. Qual surgiu primeiro?

  3. Cleyton,

    Desculpa a demora em responder. Meu tempo anda muito corrido o que faz com que infelizmente eu dedique pouco tempo ao blog.

    Só pra esclarecer eu não tenho o titulo de Doutora, pretendo ter um dia, mas isso ainda vai demorar um pouco.
    O texto que você leu (Doutor? Só se tiver doutorado!) traduz a minha opinião pessoal, não me preocupo com outras particularidades (onde surgiu o titulo ou quem o recebeu primeiro). O que quis mostrar e comentar foi que hoje as pessoas deveriam ver a real importância do Doutor(com doutorado) que tanto se esforça, pesquisando, trabalhando. Não quis nem quero desmerecer o valor do Médico, o valor do médico estar na dedicação ao paciente, no que ele jurou servir aos outros levando cura, não em um titulo de Dr.
    Esse texto mostra a maneira como eu penso. Se você desejar pode ver o próximo texto (25 de março – Dr. e com doutorado! ) que trata do mesmo tema e é bem mais completo, eu imagino que você vá achar bem mais interessante. Principalmente você que é acadêmico de medicina e deseja ser Doutor.

    É a minha opinião no meu blog!

    Obrigada pela contribuição.

  4. Olá Lídia Cunha tudo bem?

    Sou cabeleireiro há 22anos e leciono sobre Visagismo (Vem do francês Visage que significa Rosto estudamos linhas e formas dentro da linguagem não verbal para criar a imagem).
    Esta é uma nova graduação, gostei dos seus comentários sobre “doutor”, e no final do seu texto sugere que os profissionais sejam tratados de “Md.”, Adv.°, Eng., Enf., Psi., Odont.,Bioq.,Farm.,Fga., entre outros”, tem sugestão de qual seria a melhor sigla que poderia usar um Visagista?

    Boa sorte e um forte abraço!

    “Vencedor é aquele que jamais desiste, que avança ininterruptamente, com um corajoso espírito de jamais ser derrotado, independente da sua circunstância cultive um sonho impossível e lute até conseguir.”

    Mauricio Rocha (Visagista, Prof.)
    55 11 9808 9810
    e-mail: mauricio28@gmail.com
    MSN: mauriciomr71@hotmail.com

  5. Lidia, gostaria de expor o meu conhecimento dos motivos dos promórdios do título de “Doutor”.
    Contam as ‘línguas” de que no período do reinados de Dom Pedro I (como se é muito comentado e até já foi tema de um seriado da televisão) seria ou era muito voluptuoso com relação as belas mulheres da Colonia Brasilis. E devido a este fato, Dom Pedro I, teria sido muito mulherengo e um bom amante das mulheres em suas camas. Fato este que lhe acarretou muitos processos e reclamações, no tocante a paternidades de muitos filhos e filhas pelos caminhos por ele transitados. Devido a estas reclamações, que muitas vezes eram puramente oportunistas, fazia a necessidade de se consultar os “Senhores das Leis”, para ‘safar’ o pescoço das responsabilidades de criar os rebentos como possíveis herdeiros do Poder… E devido a este fato Dom Pedro I na pessoa de José de Bonifácio, em demonstração de sua gratidão, ‘deu’ o Título de “Doutores das Leis”, que eram na verdade eram os seus Advogados e defensores.
    E devido ao fato de manter relações com diversos tipos de mulheres, muitas das quais somente por impulso sexual, Dom Pedro I era frequentememe acometido de Doenças Venérias, as quais eram um grande incomodo e muito constrangedor, os “Senhor da Saúde” eram convocados para tentar amenisar ou até tentar cura-lo desta doenças, e por gratidão também ‘deu’ o Título de “Doutores da Saúde”.
    NÃO SEI SE É VERDADE, MAS MUITOS ESTUDIOSOS CONTAM E PUBLICAM ESTAS VERSÕES DA HISTÓRIA.

  6. Luiz,
    Desculpa a demora pra aceitar o depô.
    Esse comentário é muito interessante.
    Obrigada pela contribuição.

    PS:Se alguém quiser sabe mais sobre essa explicação ou têm outras pode colocar por comentário.

  7. Sei q o post é antigo, mas tive q comentar.

    Parabens pelo post, concordo plenamente.

    Respondendo as perguntas levantadas pelo Cleyton Romeu de Carvalho:
    – A palavra doutor vem do inglês Doctor que significa Médico, portanto vamos analizar a etimologia correta.
    – Segundo o dicionário Oxford de etimologias, a primeira vez que a palavra apareceu foi em 1303 no termo “doctors of the Church” que significada um homem estudado em escrituras. O termo foi aplicado a médicos apenas em 1377.
    – Quanto ao primeiro titulo de Doutorado, ele foi concedido no século 12 na França (obviamente a palavra que designava o título ainda não era doutor).

    Só para finalizar, não me diga que médico foi chamado de Doutor antes, pois isto não procede.

    Respondi o post pois em alguns estudos encontrei esta explicação apenas em inglês e pq senti uma ponta de sarcasmo no comentário do Cleyton.

  8. Só para acrescentar observações feitas em relação aos Advogados, já tinha ouvido falar dessa Lei que autoriza os bacharéis em Direito (não só o de Direito) após concluir outros requisitos de seus estatutos, no caso, aplicando a atualidade passar no exame da ordem, o que parece ser verídico o comentário do Luis marcos, sobre como surgiu tal designação, interessante.

    Veja o Link:

    http://forum.jus.uol.com.br/17779/advogado-e-realmente-doutor-e-de-direito-esse-titulo/

  9. Parabéns ao blog, parabéns aos participantes; como é bom tratar de assuntos inteligentes com pessoas inteligentes e capazes.
    Procurei pesquisar alguma coisa sobre este assunto, não por ser médico ou que tenha qualquer outra formação academica. Mais sim, por me sentir ofendido em ter que dá um tratamento semelhante de Dr.(a) a quem não é de direito receber.
    Porem; toda via, manda quem pode e obedece quem tem juizo.
    Gostaria de saber como uma pessoa poderia ser identificada como Md. ou Dr. Se é através de algum site, revista etc. Obrigado a todos.

  10. Engraçado é que foi necessário que o CONSELHO FEDERAL DE FISIOTERAPIA (COFFITO – Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional), emitisse uma “PORTARIA” para que os fisioterapêutas fossem chamados de “DOUTORES”.
    Portanto, são “Doutores por Portaria”….. hehehehe.
    Já quanto à demais profissões…… O hábito se tornou vício público.
    Êita dor de cotovelo.

  11. Sou profissional graduado da área da saúde e sei que é de praxe, por uma questão cultural usar o doutor para os profissonais de nivel superior. Entendo que não é obrigação,pois somente ao fazer um doutourado é que se obtem esse título, mas entendo tb que o doutor somente é usado como respeito, educação…e até culturalmente. Particularmente acho que, quando se trata de saúde e vidas humanas, saber que eu, ou alguém que amo está sendo atendido por alguem que tem um nivel academico me traz mais confiança e tranquilidade. Nesse contexto acho interessante o uso da palavra, pois só assim posso identificar que aquele profissional que está me atendendo tem uma graduação.Exemplo: Sou farmacêutico e apesar de n trabalhar na área comercial sei que muitos balconistas enganam a sociedade se passando por farmacêuticos.Se eu fosse leigo e chegasse com uma dúvida sobre um medicamento, me sentiria muito mais tranquilo e confiante se fosse atendido por o dr…,pois saberia que ele tinha passado por o crivo de uma faculdade e teria(é o que se espera)o conhecimento acadêmico e ética suficiente pra me orientar adequadamente.Mas essa é apenas minha opinião.Estudar, fazer mestrado e doutourado é esencial para qualquer profissional, o uso do termo é usual e n acho que traga maleficíos pra ninguem. No wikipedia tem uma explicação bem completa para o termo em questão. Abraços a todos

  12. Como médica , de fato acho no mínimo constrangedor ver nutricionistas , fisioterapeutas, fonoaudiólogos e psicólogos quererem usar este “termo” atávico e consagrado para profissões como medicina , odontologia e direito apenas por questão de pura vaidade humana , contentamento do ego. Bem , mas como vivemos em uma sociedade em que infelizmente a aparência , títulos e honrarias fazem o indivíduo , até compreendo a posição hercúlea de vocês.
    Estudei 6 anos na graduação de medicina e mais 4 anos na pós-graduação da minha especialidade, o que me forneceu um background que penso realmente fazer jus a denominação de doutora.
    Deixando de lado o termo doutor/doutora vinculado a um doutorado em qualquer área do conhecimento acadêmico , é nítido que esta manifestação de necessidade e “direito” de uso do termo nas áreas de saúde supra-citadas é fruto de pura vaidade humana .
    Mas temos que nos adequar aos tempos e às tentativas de superações das tradições históricas de profissões atemporais.
    Talvez falte também o conhecimento histórico de profissões como Medicina e Direito , bem como da origem do termo “doutor” , para vocês pleitearem tal denominação.
    Mas isto deixo para vocês…porque estudo e conhecimento …nunca são demais!
    Abraços.

  13. Boa tarde a todos!

    Hoje estava procurando sobre este assunto, pois um amigo acabou de formar em Fonoaudióloga, e eu fiquei curiosa para saber se está correto ou não usar a sigla (Dr) para este profissional.
    Achei este blog, que por sinal abordou o assunto de uma forma muito interessante. Parabéns!
    Bem, diante de tanta informação, também gostaria de deixar minha opinião. Acredito que o uso desta sigla é de fato cultural, pois analisando, percebi que nós não temos o habito de chamar qualquer profissional seja ele bacharel ou licenciado de DR, e isto inclui os da área de saúde. O que vejo é que a palavra somente é usada com profissionais que atuam no dia-a-dia com seu “cliente”, quando falo dia-a-dia, estou falando da relação de “dependência” e confiança, quando falo de relação, estou dizendo dos cuidados rotineiros que este é designado, como é o caso, por exemplo, do Fisioterapeuta, Fonoaudiólogo, Medico e advogado. Analisem, estes que citei acima são usados como suporte em tomadas de decisões pessoais seja em habilidades (Fono e Fisio), na sua própria saúde (o médico de fato) e direitos ou deveres (advogado). Mais outros que também atuam como suporte, mais que não é rotineiro ou uma relação de fato de dependência não é usado a sigla, como é o caso do enfermeiro, farmacêutico, administrador, entre outros, pelo menos eu nunca chamei ou ouvi alguém chamar. Alias, em minha opinião não combina o uso da sigla.
    Gostaria de deixar claro como Administradora e professora que na sociedade todos os profissionais independentes da área que atuem, exercem papel relevante para sociedade. E que todos nós de fato, somos treinados pelos verdadeiros doutores detentores de conhecimento (Doutores pesquisadores, mestres e professores).
    Só mais um detalhe, adorei a opinião e informação de todos!
    Bjs!

  14. Obrigada pelas palavras! Muito bom ler a opinião de uma colega(eu já me sinto) administradora. Mas acredite, já vi muita gente chamar enfermeiro e farmacêutico de Dr. E concordo com você que verdadeiro Doutor é quem faz doutorado, sem querer desmerecer médicos e advogados. Abraços!

  15. Vivian,
    Não tenho nada contra médicos, que isso fique bem claro. E claro você pode se chamar do quê quiser. E se teu conselho e a tradição te dão esse direito, melhor ainda. Não tenho nada contra isso. Sobre a historia do título o Samuel responde (acima) e foi impecável em sua boa pesquisa (obrigada!). Agora, verdadeiramente estudo e conhecimento realmente nunca são muito Vivian, por isso, você e todos os outros profissionais (independente das áreas) deveriam buscar o mestrado e o doutorado para receber com jus o título de Doutor. Abraços

  16. Parece que o assunto morreu, entretanto recussitando-o…
    Eu sou zootecnista, as revistas especialistas na área de agronegócios viram e mexem publicam artigos nos denominando, (zootecnistas, veterinários e agrônomos) de “doutores do campo”, acho bacana e até arrepio quando vejo, porém existem certas circunstâncias que merecem mais créditos. Quando chego a propriedades rurais para assisti-las geralmente com quem tenho o primeiro contato são com os peões e quando me vêem alguns me chamam de “dotô”, ou Amaury, seu Amaury, seu minino, meu fi, rapaz, jovem, moço, meu amigo, etc, e logo após os cumprimentos boto a mão na massa e vou cumprir minhas tarefas, com a mesma desenvoltura, atenção, compromisso e envolvimento independentemente do tratamento que me dão, pois diante de todos eles sempre percebi a grande satisfação da minha chegada e por perceber que nesses doze anos de carreira o sentimento de confiança, segurança e alívio da minha presença os sempre motivaram a continuar produzindo, tendo eu como grande necessidade e com o intuito de ajudar a solucionar problemas e situações que, até então, não tinham respostas e que no final de minhas visitas todas aquelas sensações angustiantes que expressavam em seus semblantes tinham desaparecidas ou amenizadas. A conclusão que chego é de que, o mais importante nas profissões não são os títulos conquistados, mas os problemas solucionados. É devido aos problemas existirem que as profissões existem então o mais importante para nós profissionais de todas as áreas é que estejamos concentrados em exercê-las com excelência para que nossos clientes alcancem seus almejados objetivos. Geralmente os piores profissionais, (na prática vejo assim), são os que se preocupam em ostentar todas essas vaidades de títulos e honras, pois são esses que no decorrer de toda a sua vida acadêmica e continuando na carreira, se interessam apenas com o dinheiro e com o “gramur” como diz Lady Kate, e não aprenderam que o respeito pela sua pessoa não está nos adjetivos e pronomes de tratamento, mas no brilho de seus olhos quando exercem a profissão que escolheu com amor!!! abçs!!!

  17. Obrigada pelo comentário ele realmente me emocionou. Eu como alguém que gosto muito das questões relacionadas a trabalho (por cursar administração e psicologia e por ter muito interesse nessa área) gosto muito de ver pessoas que amam o que fazem, por um simples motivo, quando agente ama o que faz, agente faz porque ama. Mas a verdade é se você só tem um titulo só pra ostentar ele não serve! Uma profissão tem que ter um papel social. Repito aqui para você Amaury, se todos realizassem seu trabalho como você o nosso país certamente seria diferente.

    Abraços!

  18. Basta ler a lei:

    http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/revista/Rev_63/Lei_1827.htm

    Em resumo, só pode EXIGIR o título de doutor quem fez doutorado. Porém o termo não é proibitivo, ou seja, eu posso me autointitular “doutor” se eu quiser, independente de ser tradição ou qualquer outra balela (sou analista de sistemas pós-graduado).

    E mais, o bom senso diz que essa exigência é melhor usada no meio acadêmico. Imagine: “Doutor Pompeu, poderia passar-me a manteiga?”

  19. Muito bom esse blog.. e sobre auto-intitular-se doutor ou não, segue:

    “No Manual de Redação e Estilo da Presidência da República Brasileira,diz que doutor “não é forma de tratamento, e sim título acadêmico. Evite usá-lo indiscriminadamente. Como regra geral, empregue-o apenas em comunicações dirigidas a pessoas que tenham tal grau por terem concluído curso universitário de doutorado”

  20. Gostaria só de comentar sobre a comparação entre o “Doutorado nos EUA”e no Brasil. No sistema de estudo americano existe um meio termo chamado College, que seria uma “faculdade”intermediaria.
    Só é possível entrar em uma escola de medicina ou de direito após a graduação no College. Igualmente o PhD (o que seria o mais próximo do doutorado no Brasil), também é obtido geralmente após o College, e portanto os títulos são similares nos EUA. Porém o PhD pode ser feito em 2 anos, o JD em 3 a 4 e o MD em 5 anos, por isso o MD e JD são considerados “mais importantes” para sociedade que o PhD.
    Logo o termo dourorado “D” visto no MD (Medical Doctor – médico), JD (Juris Doctor – advgado) ou PhD (philosophy doctor) só caracteriza que foi feito um curso pós graduação (College).
    Alguns médicos possuem 2 títulos MD,PhD ou MD, Msc (mestrado), mas o PhD ou MsC é na grande maioria das vezes obtido antes do curso de medicina ou no início do mesmo e geralmente relacionado a pesquisa básica e experimental. Raramente um MD ou JD vai “voltar” para fazer um PhD, que é considerado um título abaixo do MD ou JD. Até mesmo quando se escreve a ordem dos títulos é do mais importante e de maior peso para o menor, exemplo: MD, PhD, MsC…
    A vantagem de fazer um PhD seria nas maiores chances de entrar na escola de direito ou medicina, ou o desejo de trabalhar com pesquisa.
    O método brasileiro não deve ser comparado com o americano por essas diversas diferenças. Talvez o mais próximo do nosso sistema é o europeu, onde o doutorado vem também após a faculdade de medicina ou direito.

  21. Após 3 anos do meu comentário retorno ao blog. Fiquei realmente surpreso com a contribuição de todos. Afinal nunca mais acompanhei o mesmo. Hoje considero que todos os comentários são respostas validas para a pergunta: Quem é Doutor?
    Realmente quando escrevi meu primeiro comentário fui irônico. Hoje peço desculpas a Lídia por tal arrogância. Ao Samuel obrigado pela pesquisa, mas pode ter certeza que existe e sempre haverá varias divergênicias de fontes sobre a real origem do termo doutor. Até porque como o próprio Fernando comenta acima o titulo de doutorado que nos reconheçemos hoje diverge de regiões e de graus de significância no nosso mundo atual. Imagina que incongruência seria utilizarmos um titulo de Doutorado de hoje com um do seculo XII para definirmos o primeiro titulo de doutorado. Realmente acredito que não existia tal entusiasmo ou necessidade de se conquistar tal titulo. Acredito que existia a necessidade do saber. No entanto, fico feliz em ver a necessidade do ser humano em explicar situações incertas. Que sejamos ao menos doutores da alegria!!!

  22. Cleyton, desculpas aceitas!

    Fico muito feliz que você tenha retornado, e lido todas contribuições dos nossos amigos.
    Volte sempre.
    E vamos estudar, para ajudar no desenvolvimento social e no seu caso para contribuir diretamente com a vida.
    Você já é um médico formado? Se for, seja um Dr. que leva não só cura, mas alegria.
    Sucesso para todos nós!
    E muita força para estudar!

  23. Olá,

    Por que essa cultura portuguesa que foi passada ao Brasil é tão oposta ao desenvolvimento? Não deveríamos atribuir o título de doutor à advogados ou à médicos. Ora pois, deveríamos, sem nenhum pudor, imitar países desenvolvidos com alto IDH, onde os estudos têm grande foco em ciências exatas e outros fins de construção. Com certeza, nunca atingiremos o alto desenvolvimento dessa forma. O Brasil deve parar com a poesia e começar com a engenharia! Até Dilma já disse isso. Mas afinal, do que adianta dizer isto e continuar pagando R$14.000 para um promotor de direito recém formado?

  24. O dicionario me parece bem errado. Até quando diz: aquele que atingiu o maior grau universitário, pois existe ainda a livre-docência e não sei se outros mais. O que você acha?

  25. Meu médico, dentista, advogado e todos os profissionais que julgo competentes e capacitados para o exercício de suas profissões, sempre serão chamador por mim de Doutores. Doutorado é título acadêmico de e eles (os Doutores com doutorado) têm o direito de serem tratados por Doutores. O que não é proibitivo de qualquer outro profissional usá-lo. Sou administrado e uso Adm. antes do meu nome, mas não vejo nada demais quanto observo o “Dr” no cartão de visita de outros profissionais como advogados e médicos.
    Isso é uma questão de tradição e de orgulho da profissão.
    Não vejo com bons olhos é esse exclusivismo vaidoso dos DOUTORADOS que se sentem pessoas acima de todas as outras. Pessoas que não podem ver um “Dr” anter do nome de niguém que já vão pesquisar para saber onde foi o doutorado. Eis que deveriam estampar seus próprios diplomas de DOUTORADO na testa!
    Deveriam saber que tal fogueira da vaidade é capaz de queimar até mesmo a sua saúde.
    Vivam e deixem viver…. Serão mais felizes.
    Adm. Constantino Teixeira de Azevedo Brito

  26. Vívian, os psicólogos não reivindicam o uso do DR antes dos seus nomes, inclusive o próprio Conselho Federal de Psicologia determina, no Art. 20 letra b (eheh) do Código de Ética do Psicólogo, que tais profissionais não usem títulos que não possuam. Portanto se não tem Doutorado, não deve acrescentar junto ao seu nome no jaleco. Penso ser um dos Conselhos de Classes mais coerentes no meio desses todos aí, que só pensam em vaidade. =P
    Fonte: http://www.psi.ufba.br/documentos/codigo_etica.pdf

  27. Fico feliz que depois de tanto tempo esse texto ainda gere discussão.
    Volte sempre, seu comentário, desde que seja respeitoso, é sempre bem vindo.

    Concordo com o Lucas a área de ciências exatas, entre outras, deveria ser melhor valorizada.

    Luana, a livre-docência é um título, o dicionário está correto, mas grau só existem três graduação, mestrado e doutorado, nessas três modalidades são concedidos graus acadêmico, logo livre-docência não é um “grau”, e o maior grau é o doutorado.

    Constantino, Doutor é realmente quem tem doutorado, mas chamar e usar agente pode fazer do jeito que preferir, agora o que agente não pode é como cidadão desmerecer os doutores (digo com doutorado) do nosso país, pois estudam, pesquisam e fazem diferença e nem sempre são orgulhosos.

  28. Também concordo, que só podemos chamar de Dr. aquele que tem um doutorado, vejo isso todos os dias no meu trabalho, fonoaudiólogos, psicólogos, profissionais que somente vem aqui para laudar raio x; são todos chamados de Dr. isso me deixa intrigado, como também chamarem advogados de Dr. não tem nada a ver. E não concordo que seja cultura, pra mim é falta de ensinamento mesmo informação, que desde a infancia só ensinam o básico neste País.

  29. O certo e que alguns profissionais insistem em ser chamada de doutor, mesmo sem ter feito um doutorado creio que qualquer outro profissional graduado que fizesse empenho com seu conselho de classe, a aqui no Brasil certamente conseguiria uma justificativa qualquer para ser chamado de doutor também, eu acho que não deveria competir a nenhuma tradição, conselhos de classe, população, dicionário Aurélio e canais de TV darem títulos a ninguém.

  30. Obrigada pelos comentários!

    O tempo passa e essa continua sendo uma questão atual Daniel e Fred, digo isso porque escrevi o texto em 2009.

    Ex abc, essa foi muito boa! kkk Já imaginou quando ele for Doutor? ” PARABÉNS AO DR FULANO QUE AGORA É DOUTOR! KKKKKKKK

  31. A questão é muita simples… Não precisa polêmica não… É só questão de língua portuguêsa… Assim como existe ‘BANCO’ instituição financeira e ‘BANCO’ móvel feito para sentar… A língua portugûesa, a exemplo do que ocorre na lígua ínglesa adotou uma forma de tratamento tradicional para algumas profissões como médicos, dentistas, veterinários, etc… Portanto, o termo ‘DOUTOR’ possui carga semântica diversa podendo ser forma de tratamento (não pronome de tratamento), titulação acadêmica ou mesmo adjetivo quando queremos dizer que uma pessoa sabe muito sobre qualquer coisa como até mesmo engraxar sapatos… Verdadeiramente, não vejo o porquê de tanta confusão… Já imaginou se fosse assim com todas as palavras do dicionário que significassem mais de uma coisa? E mais… Dicionário não erra não… Nós sim… Li todos os posts desde 2010… Achei muito interessante todos os comentários… Discutir com equilíbrio, elegância e democracia faz muito bem à saúde do nosso intelecto… Parabéns a todos vocês! Sou Médico Veterinário, mestre, em busca do doutorado… Não exijo a ninguém que me chame de doutor, isso não me envaidece em nada… Mas se alguém me chama de doutor, não está errado não… Não possuo o título acadêmico, que é apenas um dos muitos significados da palavra ‘DOUTOR’, mas sou médico veterinário, profissão que usualmente ou tradicionalmente recebe tratamento de ‘DOUTOR’, mas com outro significado… O macaco que eu utilizo pra trocar o pneu do meu carro não pula, e muito menos como banana… Acho que essa comparação é bem elucidativa, sem fazer aqui nenhum tipo de ironia (foi que me ocorreu agora)… Abraço à todos!

  32. Obrigada Carlos Sérgio, “Discutir com equilíbrio, elegância e democracia faz muito bem à saúde do nosso intelecto” moderar os comentários me permite que esse seja um espaço de respeito. E só aprovo comentário que (ao meu ver) é saudável. Alias, sua opinião é bem diferente e equilibrada, obrigada por comentar, volte sempre.

Sua opinião é bem vinda!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s