O que desengasga?

Você já se engasgou alguma vez? Se sim, já sentiu aquela triste sensação de ter alguma coisa sufocando a sua garganta, um nó constante, um incomodo. E aí alguém sugere… comer farinha, beber água, bater nas costas. E daí, de uma hora para outra, ou o que tá te engasgando desce, ou saí fora. E tudo volta ao normal.

Mas e na vida, o que desengasga?

Já teve essa sensação de que está com alguma coisa entalada na garganta, alguma coisa que você não pode resolver, que você não quer engolir, queria apenas cuspir fora mais não pode?

Triste sensação. Aqui estou eu, profissionalmente abalada. Parece que comecei a questionar todos os meus desejos e aspirações profissionais porque apesar de estar fazendo o que gosto, não estou fazendo do jeito que gosto, ou do jeito que acredito que deveria ser, triste fim de um começo. E assim fico engasgada. Tentado fazer o que não quero, só porque o “sistema” quer, ainda bem que o que estou fazendo é honesto e descente, só pra explicar, NÃO estou em um dilema ético, só não quero estudar o que querem que eu estude.

Já tentei tantas vezes engolir no seco, mas parece que sempre volta, e sinto-me engasgada!

Aí pergunto a você caro leito, o que desengasga?

Diga-me, estou precisando desengasgar, ensine-me a engolir, ou me dê de beber, pois quero desentalar.

Triste começo do fim de um começo. 

Um drama em 24 meses

Se a minha visão de mundo é tão diferente do que me impõem a estudar… eu fico me perguntando… como poderei me inspirar para escrever? De tanto refletir entendi que devo jogar fora a essência do ser para poder escrever sobre algo excessivamente exterior a mim. Transformei-me em um ser redondo, assim vejo só um lado da coisa, não vejo a essência, mas não perco a essência, vejo apenas o que devo ver agora, o que devo fazer agora para meu objetivo alcançar, se eu ver demais vai doer, se eu não ver eu consigo sublimar, sublimo o ser em busca do meu objetivo. Pela sublimação do ser, não serei anormal a corrente de pensamento que me empurram garganta abaixo. Esse é o drama de alguém que decide fazer pró-graduação, e terá que escrever o que o programa, o orientador ou o projeto manda. Menos escrever sobre o que você acredita ser eficiente, importante e necessário. Não, eu não sou contra pesquisa básica, eu gosto, o tema não é esse. É apenas um desabafo que quem terá que escrever sobre o que essencialmente não acredita. 

A procura

Vou começar dizendo que não sou e nem estou desesperada, tenho 24 anos, e acredito que cada coisa tem seu tempo, e cada tempo sua hora. É lógico que pra mim o tempo já está chegando, e sim, eu quero casar, mas não estou desesperada, mas é claro que me preocupo. E acredito principalmente que Deus tem um plano, Ele não escolhe “a pessoa” certa, mas existem algumas possibilidades de “pessoas certas” e que se agente desenvolve um relacionamento com Deus, Ele nos ajuda a escolher.

Hoje estava assistindo aula, e meu professor para dá um exemplo disse: Lídia, você que está solteira, me fala as características do cara (homem) ideal”… Não precisa falar (risos).

Mas eu, claro, comecei a pensar… É lógico que já sei/pensei as características do “rapaz ideal”, essa lista não está escrita (ainda, isso porque fui assistir o “Seminário Eu escolhi esperar” e me recomendaram que eu escrevesse para Deus saber tudo direitinho). Depois da aula vim o caminho inteiro pensado como tudo é complicado nessa escolha.

Primeiro: porque eu sou uma pessoa séria, sempre fui, ou seja, não vivo por aí com um e outro.

Segundo: porque eu sou alguém reservada, tipo, calma mesmo.

Terceiro: porque eu não gosto de “partir” o coração das pessoas.

Quarto: porque eu sou difícil de me apaixonar.

Quinto: porque nem sempre tem “química”, e fora todas as outras coisas importantes (Religião, personalidade, maturidade, resolução profissional, segurança emocional, beleza) química é sim um aspecto muito importante, e claro não é como todo rapaz que você tem.

Ou seja, independente de quem seja o Rapaz ideal, e quando digo ideal não quero dizer perfeito, mas ideal para mim, alguém que vai me fazer feliz e que eu vá conseguir fazer feliz, digo, a escolha é muito complicada.

Era isso! A procura continua, eu espero não só achar, mas também ser achada! 

Acompanhamento “Objetivos 2013″

Faltam 91 dias para 2014!

Semana passada abri meu arquivo “Objetivos 2013”, queria verificar como ia no cumprimento das metas e no alcance dos objetivos. Confesso que fiquei um pouco decepcionada, até semana passada só havia cumprido 40%, e hoje pensei nisso novamente, porque 2013 está terminando…

A casa início de ano eu estabeleço objetivos e metas, e esse ano não foi diferente, descrevi objetivos espirituais, profissionais, acadêmicos, pessoais, para a saúde, sociais e etc. É lógico que existem coisas complexas, que só poderão ser cumpridas no final de dezembro. Outras eu simplesmente não encontro tempo para realizar, já outras,  infelizmente deixei de lado.

Talvez você esteja se perguntado, mas qual a diferença de entre meta e objetivo? Eu te explico (coisa de administradora):

Objetivo é o alvo/desejo “em si” que você almeja alcançar. Exemplo: comprar um carro.

Meta são os passos expressos, geralmente, em tempo do que você deve fazer para alcançar o objetivo. Exemplo: Poupar 10% em janeiro (para aplicar na poupança). Exemplo 2: Ter 60% do valor do carro em julho (para dá a entrada).

Assim, você estabelece as metas para alcançar os objetivos. É possível ser mais geral ou mais detalhado no desdobramento das metas. Tá bom! Chega de aula!

Agora pergunto a você, caro leitor, como tem sido o seu ano? Tá cumprindo as suas metas? E os objetivos?

A boa noticia é que ainda temos 91 dias, mesmo que tenha perdido alguma meta ainda é possível reprogramar para alcançar o objetivo. Então faça sua parte, ainda é tempo de alcançar objetivo em 2013.

Foco! Determinação!

Boa sorte!

Para cristãos…

Deus diz não, você diz sim…
Deus diz sim, você diz não…
Você está fazendo isso errado…
Deus diz sim, você diz sim…
Deus diz não, você diz não…
Você está fazendo isso certo…
Tentação, ela sempre está a nos cercar.
Quando Deus disser não, pare!
Quando Deus disser sim, continue!
Porque…
Sempre, sempre, sempre…
Deus sabe o que é melhor para você!

Não julgue

Não julgue um livro pela capa
Nem mesmo pelos “testemunhos” de quem já leu
Ouse ler a introdução
Mas, não fique só por aí
Se aventure nos capítulos seguintes
Dedique-se
Experimente refletir sobre o ponto do vista do autor
Coloque-se no cenário descrito
Finalmente, conclua o livro
E aí sim, dê a sua opinião
Compare com sua primeira impressão
Arisque-se a pensar diferente
Aí, possivelmente, seu julgamento vai ser diferente.

 Pessoas são como livros

Quem está no controle?

Depois de tanto tempo um post rápido.

Esse ano tem se caracterizado para mim como um ano de muitos altos e baixos, talvez por esse mesmo motivo mas nunca escrevi, uma hora tinha vontade de escrever, outra hora nem lembrava que o blog existia. Uma prova disso é que passei 60 dias com a faculdade em greve e não fins um post.

Como estava falando esse ano tem sido diferente do que imaginei, e até do que sonhei, mesmo assim a sensação não é de que estou perdida ou sem chão, é lógico que em alguns momentos me senti assim, mas não me sinto assim constantemente. Sinto que a vida muda, mas que Deus está no controle.

E sabe, mesmo quando na sua vida tudo virar de cabeça para baixo, ou quando você tiver lá em cima no clímax do sucesso, não esqueça que existe um Deus que está no controle. É claro que quando você está embaixo fica triste e revoltado, mas espere e seja paciente. E quando estiver em cima, não esqueça que por maior que seja o esforço humano é Deus que Dá a oportunidade. E assim viva sabendo que existe um Deus que está no controle.

‎”Deus dirige Seus filhos por um caminho que eles não conhecem; mas não Se esquece dos que nEle põem a confiança, nem os rejeita”. Ellen G. White

Luta de leões

Os últimos dias têm sido cruéis, na verdade, nos últimos dias tenho até me recuperado. Então vou começar novamente…

As últimas semanas têm sido cruéis, era só uma ferida que quando começou a se fechar foi arrebentada, estourada, esfolada, e outra ferida se abriu, doeu tanto, e quando parece que começo a ver cicatrizes se formarem, tudo estoura novamente, foram três grandes ferimentos, absurdamente doídos, minuciosamente chorados pelo tanto que doeu. Perdi tanto em um mês que não consigo nem calcular, perdi sonhos, e talvez sonhos sejam incontáveis. Por esse motivo não posso calcular. Perdi chances também, e chances únicas, chances que lutei com todas as minhas forças para agarrar, mas passou, e como passou.

Se você é cristão como eu, sabe que nesses dias difíceis, aos quais o próprio Jesus nos alertou quando esteve aqui na terra dizendo que no mundo nós teríamos aflições (João 16:33), o melhor companheiro é Jesus, e o melhor livro é Salmos. Li muitos, com uns chorei mais, em outros me confortei, mas uma coisa sei “…Eu porei a minha esperança em Deus e ainda o louvarei. Ele é o meu Salvador e o meu Deus” (Salmos 42:11). Eu sei que Deus sabe tudo, e que agora eu não entendo, mas eu confio em Deus, mesmo sem entender. E as feridas começam a fechar até porque a vida não para!

E nesse de “bola para frente” resolvi (entre outras coisas) ver uma série que eu gosto muito Grey’s Anatomy(não recomendo, mas gosoto), fazia um tempão que não sentava para assistir um episódio, e comecei de onde tinha parado, um dos episódios que assisti foi o 12 da 4ª temporada (faz tempo…), neste os residentes finalizam uma competição para ver quem é o melhor da cirurgia, e somam pontos, Grey (Ellen Pompeo) vence, e ganha um bip especial, Izzie (Katherine Heigl) perde depois de gastar milhares tentando diagnosticar algo mais em um paciente que dá entrada com um tornozelo doente e que têm só mais uma gripe. No finzinho Dr. Richard (James Pickesns) conversa com Izzie e diz à frase que todo mundo que lutou muito e perdeu algo merece ouvir, e que me ajudou mais um pouco. Dr. Richard disse algo assim:

A competição é uma luta de leões. Portanto, erga a cabeça, aprume os ombros, e ande com orgulho. Não lamba suas feridas, comemore-as. As cicatrizes que você tem são as marcas de um guerreiro. Você esteve em uma luta de leões. Só porque você não venceu, não significa que não saiba rugir.

PS:Escrito na última semana de julho/2011.

Matemática…

Há dois anos escrevi o post “Definitivamente EU odeio matemática” na época eu cursava a disciplina “Matemática 2” a mesma coisa que “calculo 1”, era tudo muito complicado, tudo mesmo não só a matemática. Mas passou, fui aprovada na disciplina, graças a Deus.

Dois anos depois, posso dizer que hoje gosto um pouquinho mais de matemática. Talvez eu tenha deixado de “odiar”, não sei, talvez não! Ela ainda me faz doer à cabeça, continuo acreditando que não tenho vocação para tal, mas hoje estou mais do que nunca convencida da sua grande importância.

Na verdade acredito que agente deveria ter uma experiência positiva com a matemática logo nos primeiros anos da escola, algo diferente, criativo, algo que despertasse o nosso interesse de tal forma que agente tivesse vontade de “fazer literalmente matemática”. A matemática é um instrumento que realmente pode mudar o futuro do nosso país (posso fazer um post sobre isso), e é lamentável que existam muitas pessoas que como eu não gostem de matemática, isso é realmente muito triste.

Uma coisa é certa, quero muito aprender MAIS estatística. A estatística é muito interessante e dá pra fazer muita coisa que me interessa muito, por isso quero aprender muito mais.

Outra novidade, já estudei administração financeira, foi um pouco complicado, mas tive uma profª maravilhosa enviada por Deus.

No mais, acreditem, tentem estudar e gostar mais de matemática. É muito importante e faz parte da vida.

Só que um dia agente descobre que tudo pode piorar, chama-se Pesquisa Operacional, ou para os íntimos “P.O.”, usa matemática.  É muito complicado, sei lá, dá vontade de sair correndo, de gritar bem alto, de chorar. Só peço a Deus que me dê mais sabedoria, paciência e atenção, pra que eu poça ir bem nas provas que ainda faltam, e ser enfim aprovada.

Pra concluir, tenho que informá-los que quando você menos espera a matemática volta.

Chorar!

É possível, às vezes necessário…

No quarto, na sala, no banheiro, na rua, no aeroporto, no cemitério.

Em público ou em particular, aos gritos ou por trás do óculos escuro.

Chora-se por raiva, alegria, tristeza, frustação, amor, dor…

Chora-se quando nada resta a expressar…

Chora-se quando não se sabe o que fazer…

Chora-se quando a emoção faz transbordar…

Chora-se, chora-se, chora-se, chora-se…

Existem até controvérsias, mas o choro faz bem!

Melhora! Amadurece! Protege! Descobre! Adormece!

Tira o nó da garganta,

Faz sentir melhor,

Chorar é bom, e é um direito…

Por isso CHORE, mas apenas quando achar necessário,

Ou quando não puder suportar…

Chore só um pouco ou talvez um pouco mais…

Não viva para chorar, mas quando preciso chore pra viver…

Não tenha medo, não se envergonhe, chore!

Se chorar por tristeza, lembre-se…

O choro pode durar a noite inteira, mas de manhã vem a alegria.

Salmos 30:5