A procura

Vou começar dizendo que não sou e nem estou desesperada, tenho 24 anos, e acredito que cada coisa tem seu tempo, e cada tempo sua hora. É lógico que pra mim o tempo já está chegando, e sim, eu quero casar, mas não estou desesperada, mas é claro que me preocupo. E acredito principalmente que Deus tem um plano, Ele não escolhe “a pessoa” certa, mas existem algumas possibilidades de “pessoas certas” e que se agente desenvolve um relacionamento com Deus, Ele nos ajuda a escolher.

Hoje estava assistindo aula, e meu professor para dá um exemplo disse: Lídia, você que está solteira, me fala as características do cara (homem) ideal”… Não precisa falar (risos).

Mas eu, claro, comecei a pensar… É lógico que já sei/pensei as características do “rapaz ideal”, essa lista não está escrita (ainda, isso porque fui assistir o “Seminário Eu escolhi esperar” e me recomendaram que eu escrevesse para Deus saber tudo direitinho). Depois da aula vim o caminho inteiro pensado como tudo é complicado nessa escolha.

Primeiro: porque eu sou uma pessoa séria, sempre fui, ou seja, não vivo por aí com um e outro.

Segundo: porque eu sou alguém reservada, tipo, calma mesmo.

Terceiro: porque eu não gosto de “partir” o coração das pessoas.

Quarto: porque eu sou difícil de me apaixonar.

Quinto: porque nem sempre tem “química”, e fora todas as outras coisas importantes (Religião, personalidade, maturidade, resolução profissional, segurança emocional, beleza) química é sim um aspecto muito importante, e claro não é como todo rapaz que você tem.

Ou seja, independente de quem seja o Rapaz ideal, e quando digo ideal não quero dizer perfeito, mas ideal para mim, alguém que vai me fazer feliz e que eu vá conseguir fazer feliz, digo, a escolha é muito complicada.

Era isso! A procura continua, eu espero não só achar, mas também ser achada! 

Não julgue

Não julgue um livro pela capa
Nem mesmo pelos “testemunhos” de quem já leu
Ouse ler a introdução
Mas, não fique só por aí
Se aventure nos capítulos seguintes
Dedique-se
Experimente refletir sobre o ponto do vista do autor
Coloque-se no cenário descrito
Finalmente, conclua o livro
E aí sim, dê a sua opinião
Compare com sua primeira impressão
Arisque-se a pensar diferente
Aí, possivelmente, seu julgamento vai ser diferente.

 Pessoas são como livros

Meu professor não gosta de mim

Seria um almoço comum, com uma boa amiga, diferente de outros, esse foi combinado. Minha boa amiga é alguém equilibrada, dedicada, cristã, almoçar com ela é sempre um prazer. Sentamos e começamos a conversar,  uma amiga nossa senta com agente e acaba se tornando testemunha de tudo, transformei os meus conselhos e os comentários daquele dia a essa querida amiga em um post que pode ajudá-lo em um momento de dificulte.

Situação: Minha amiga está sendo vítima de discriminação na faculdade por uma professora que ama a turma dela e odeia ela, demonstrando esse comportamento de maneira que tratar minha amiga sempre diferente.

O que fazer quando isso acontecer? Trancar a disciplina nem sempre é a melhor opção. 

Se possível não tranque a disciplina. Pode prejudicar você na sua vida acadêmica, inclusive sua carreira. Muitas vezes também um professor ministra mais de uma disciplina e provavelmente você terá que ser novamente aluno dele em outra ocasião.

Tente aguentar, e superar a discriminação, esse é um bom remédio. Lembre-se que você está na faculdade pra aprender, faça a sua parte, esforce-se. Lembre que cursar essa disciplina é essencial a seu plano de carreira e de vida. Seja um aluno dedicado e pontual.

Não denuncie. (?) Não sou louca! Se o professor não é injusto com você publicamente, ou em ralação as suas notas, se só você percebe o tratamento diferente (principalmente se nem seus colegas percebem), não é muito relevante abrir um processo no protocolo ou na coordenação. Não tente nada se você não pode provar. Muitas vezes o professor só trata a pessoa indiferente e isso provavelmente não vai conseguir ser provado nem trazer nenhum beneficio a você.

Tente colocar-se no lugar do professor. Isso mesmo. Tente descobrir o que faz o professor rejeita-lo, se você descobrir o motivo, não se sinta culpado, provavelmente isso é uma fraqueza do docente não sua. Portanto tente entende-lo só e simplesmente para poder lidar melhor com isso.

Se você realmente decidir cursar a disciplina. Tente encontrar qualidades naquele Mestre, provavelmente você irá identificar mais os defeitos, mas acredite todas as pessoas tem qualidades. Identificar qualidades no docente vai ajudá-lo a cursar a disciplina com mais tranquilidade.

Consiga o respeito de seus colegas. Demonstrar que os seus colegas te admiram, seja por quais forem os motivos, vai fazer com que o seu Professor veja que você é respeitado e tenda a te respeitar também. Dê contribuições relevantes e seja seguro em relação a sua participação em sala de aula.

Não concentre a sua vida nisso. Tendemos a nos concentrar muito nos nossos problemas, calma. Relaxe! Vá sempre pra a aula de cabeça em pé.

Se tudo isso não te ajudar e os maus tratos persistirem. Se isso te causa mal estar muito grande ou até angustia. Procure seus direitos. Se isso tá gerando muito estresse é importante também procurar um psicólogo, que vai te ajudar a superar essa situação.

Lembre-se que isso não é uma fórmula pronta, não vai servir em todos os casos, mas vai ajudá-lo a refletir.

O que me dói é saber que isso é mais comum do que se pensa e que muitas vezes professores usam sua “autoridade” para mal tratam seu alunos, mesmo nas universidade.

Aos aluno, Boa Sorte!

Aos professores, mais respeito!

Humildade

Não classificar pessoas me dá a constante oportunidade de eleva-as em meu conceito. Assim existe sempre uma chance de recomeçar.

Não que o meu conceito sobre as pessoas seja algo assim tão importante, mas acredito que o modo como nos relacionamos com o nosso semelhante tem muito a ver com o conceito que fazemos sobre ele. Talvez por isso, ou porque não dizer apesar disso, o padrão de Deus para nós é que nos amemos uns aos outros  (1º João 4:11; entre outas). Porque somos diferentes, e quando amamos alguém compreendemos essa pessoa melhor, ou somos mais leais à pessoa que é objeto do nosso amor. Acredito que é sempre mais fácil compreender aquele que amamos, é mais fácil ter empatia (a capacidade de se colocar no lugar da outra pessoa) por essa pessoa.

O fato é que quando eu não classifico estou mais aberta às surpresas da vida, sim porque as pessoas são realmente surpreendentes!

Nesse caso, ou porque não dizer, nesses casos, as surpresas se referem a humildade de duas pessoas.  E como admiro pessoas humildes, a humildade só poderia ser mesmo um dom de Deus, porque é sublime demais para ser humano. A própria Bíblia fala que os humildes receberam a Terra por herança (Mateus 5:3), em outras palavras os humildes serão salvos, vão para o Céu.

Não, as pessoas não são perfeitas! Erram e erram sempre. E se você, caro leitor, quer ser feliz e viver sem frustrações entenda que as pessoas erram e que sempre vão errar (inclusive com você) e que nunca vão existir pessoas perfeitas.  Mas acho incrível conviver com pessoas diferentes que exercem o mesmo papel e reagem a vida e as “coisas desta vida” de maneiras tão diferentes. Acho incrível vê um humilde, ou melhor, alguém que tem a capacidade de ter humildade, exercendo o mesmo papel de alguém muito esnobe.

Isso também tem a ver com a pessoa em si. Sim, a forma como a pessoa vive e encara a vida tem tudo a ver com a experiência passada, com as experiências que ela viveu no passado, com as dores que enfrentou e com a maneira como (se é que realmente enfrentou ou não negou) as enfrentou. Sempre temos problemas para enfrentar as dores, por mais que estejamos bem e seguros. Não fomos programados para sofrer. Não mesmo (minha visão Bíblica da vida me faz afirmar isso, porque sei que Deus nos criou “na essência do ser humano” para sermos plenamente felizes). E por isso algumas pessoas não conseguem resolver suas dores jogam as suas frustrações nos outros não sendo seguro o suficiente para voltar atrás e corrigir possíveis erros.

Não posso também deixar de comentar, até porque acredito nisso, que pessoas que são sensíveis a Deus, manifestam o dom de Deus que é a humildade.

Resumindo, fico muito encantada com a pessoa (e ela sobe muito no meu conceito) e grata a Deus quando as pessoas me surpreendem demonstrando humildade.

Boa Semana!

Conselhos

Olá Pessoas,

 

Eu já disse aqui que esse ano dei o conselho mais mal interpretado da minha vida(?). Isso é pura verdade. E o pior é que deu uma historia enorme, cheia de mal entendidos, e sem falar que para (alguns, pq acho que nem todos sabem dos detalhes) eu saí de vilã.

 

Eu dei um bom conselho, com as MELHORES intenções, era melhor pra todo mundo, apesar de ter me comportado de forma bastante emocional. Só que não parei pra pensar se a pessoa que recebeu o conselho faria como eu pedi, ou faria como fez. Interpretou como quis, fez o que quis, magoou pessoas, sujou meu nome e ainda ficou se achando a vítima (porque eu que tinha dado o conselho).

 

Diante disso, me perguntei muitas vezes quais tinham sido meus erros em relação a toda essa historia. Orei pedi a Deus que abrisse minha mente. Logo de início vi meus possíveis erros e pedi desculpas a quem interessasse de acordo com o que a pessoa representava no caso.

 

Depois disso comecei a me questionar. Será que é realmente como diz o ditado popular? “Se conselho fosse bom, não era dado era vendido”. Mas já dei tantos conselhos positivos, que ajudaram amigos meus, que fizeram pessoas se tornarem mais felizes e alcançarem seus objetivos. Porque quando um não dá certo fico nesse drama todo. A verdade é que eu tenho motivo para todo esse drama. Pessoas, inclusive eu saíram magoadas. Mas será que conselhos realmente não são bons?

 

Sempre acreditei que eles são oportunos, desde que sejam desejáveis. E são importantíssimos desde que quem dá o conselho não esteja diretamente envolvido na historia.

 

O tempo passou e essa semana reli o verso que assegura o meu pensamento, a Bíblia diz algo sobre os conselhos

Provérbios 27:09 “…do conselho sincero do homem nasce uma bela amizade”.


Portanto dê conselhos e que eles sejam sinceros, acredito que eles são benéficos e têm muito valor.

 

No entanto, quero dá alguns conselhos, quando for dá um conselho:
1. Distancia-se do problema, se não conseguir, melhor não dá.
2. Não dê conselhos quando as conseqüências deles te levarem a perdas ou a ganhos, de qualquer natureza. Independente da sua vontade isso é prejudicial.
3. Coloque-se no lugar da pessoa que te pediu o conselho, pense se realmente você faria o que está aconselhando o outro a fazer. Use toda sua empatia.

4. Mesmo assim cuidado, nem sempre a pessoa vai agir com as conseqüências indesejadas como você agiria.
5. Pense se é o melhor para o outro. Tenha sabedoria e muito cuidado, você está lidando com alguém que tem tanta carne e osso quanto você.
6. Seja claro, seja direto e objetivo, mas não deixe de ser delicado, tenha tato.
7. Tenha certeza que a pessoa entendeu o que você quis dizer.
8. Lembre ao outro que ele é livre pra fazer da forma que ele quiser, e que as conseqüências serão para ele. Ele é responsável pela ação.
9. Faça com que o outro reflita sobre o problema.
10. Se o conselho for em relação a um terceiro, peça ao outro pra se colocar no lugar desse “terceiro”.

 

Para mim uma das maiores provas de amizade que um amigo pode me dá é sentar pra conversar comigo e me dá um conselho. Será sempre bem vindo.

Não se importe

Acabei de chegar da faculdade, jantei, e vim checar meus emails. Hoje não foi o dia perfeito. Estou meio dp, acho que é TPM. Enfim, mas estou estudando a historia de Calebe na Bíblia e na Lição da ES, e isso só já me motiva muito (qualquer dia conto a historia aqui, mas se desejar ler na Bíblia  fica em Número  12, 13 e 14). Pra completar em um tempo que estou completamente sem paciência, eu votei em alguém pra governador que meus colegas da faculdade julgam que eu não deveria votar. Eu não estou nem aí, problema deles, o voto é meu, eu faço o que quiser, e estou com minha consciência limpa. Só que eles (inclusive minha amiga) ficam me provocando muito. Fui também vê o que tá rolando no twitter e lá peguei por providencia um link de um blog que minha amiga Dani colou. Vou colar o texto é o máximo. Esse texto foi perfeito pra mim, porque sou muito provocada em relação a outros assuntos também.

Provocação Pessoal

As pessoas maduras não se abalam por causa de comentários indelicados de outras pessoas. De vez em quando as pessoas dizem coisas para nos testar e fazem comentários do tipo: você não trabalha duro! ou você come demais! ou ainda todo mundo sabe que você casou com ele por dinheiro!. Às vezes, essas coisas são ditas por inveja, mas com freqüência, são ditas para provocar uma reação. Qualquer que seja o motivo, a melhor maneira de lidar com isso é sorrir e, ou não dizer nada, ou concordar com a pessoa.


Assim sendo, da próxima vez que seu vizinho o vir em seu carro novo e disser: você não trabalha quase nada e, ainda assim, eles lhe pagam uma fortuna!, simplesmente sorria e responda: não é maravilhoso?. Você não tem de explicar nada sobre suas responsabilidades e sobre o tempo que fica ralando no trabalho. Não precisa justificar. Apenas sorria e deixe isso para lá.


Quando a sua cunhada observar coisas do tipo: você está sempre tirando férias!, concorde com ela. Diga: sim, adoro tirar férias!. Se o seu primo disser: puxa, você deve ter gasto uma nota nessa piscina, sorria e fale: pode apostar que sim. É que detesto piscinas baratas! Não se deixe perturbar. Você não vai ganhar nada discutindo com seu primo, sua cunhada, seu vizinho ou com quem quer que seja. Quando encontrar com pessoas assim, concorde com elas de uma maneira gentilmente natural. Se você começar a tentar se defender, estará frito. Em poucas palavras: somente pessoas que pensam “pequeno” fazem comentários desagradáveis; e somente pessoas que também pensam pequeno se ofendem.

Seja alguém que pensa grande.


Fonte:
Andrew Matthews é escritor e autor de vários livros, que se tornaram best sellers.


Fonte: Encontre o texto  acima nessa site muito legal que descobri Faz Bem .

PS: o título já está linkado.

Professor nota 10! [2]

Antes que termine as férias…

Esse texto que pretendo escrever no fim de cada período é para reconhecer que existem professores legais, que facilitam a vida dos alunos, ensinam MUITO e principalmente são pessoas dignas. Existiam outros com essas características, mas esse me despertaram maior atenção.


O Primeiro:

Ele foi meu professor durante um ano. No fim período passado já gostava muito dele, mas esse período ele ainda conseguiu me ensinar “mais”. Me ajudou tanto a “pensar como psicóloga” (coisa que quando entrei no curso era muito difícil pra mim), deu tantas dicas, conselhos, foi sempre um bom exemplo. Ele me prova que o caráter de uma pessoa é independe muitos detalhes.  É muito experiente, culto, PhD e ainda consegue ser muito simples. Deixa a sala em um clima tão à vontade. Pior, um dia precisei de um conselho e por ser prof. de ética, não resisti. Ele me deu um conselho tão sensato. Thank you!


A Segunda:

No primeiro dia de aula ela deu uma aula PERFEITA, quando ia saindo da sala perguntou a mim e há alguns amigos se tinha dado pra entender. Disse que estava doente e por isso a aula não tinha sido boa. Agente logo elogiou e falou que a aula foi ótima. Ela sempre simples, disponível. A mulher é elétrica. A aula dela é o máximo, muito empolgante, ela sabe muito, e melhor, sabe transmitir, e como sabe, tem muita experiência o que muitas vezes faz toda a diferença. Ela é realmente a professora nota 10, porque é MAIS completa. Obrigada!


A Terceira:

No primeiro dia de aula não reparei na aula dela. Na verdade cheguei atrasada e não via a hora da aula terminar. As semanas passaram e fui formando o meu próprio conceito sobre ela, “muito bom” por sinal. Ela é uma boa professora. Tenta ajudar a todos. É justa. É humana. Diria que é uma pequena heroína. Admiro a coragem, a dedicação e a força de vontade dessa mulher. Mais nem só de perfeição se faz um professor nota 10. E essa ainda tem muito a aprender. Mais se tiver paciência vai chegar lá. E vai conquistar o seu espaço (merecido). É porque Ela ainda é muito jovem. Mas “agente” aprende! Obrigada!


Esse período sofrido acabou. Mas que bom que ainda sobra ram pessoas humanas, que erram e acertam, não são perfeitas, mas que mesmo assim conseguem encantar agente.


Se você é professor e tem as características do texto é porque (pra mim) você  também é um nota 10. Obrigada por ensinar!


Um de meus professores disse “Um bom professor inspira o aluno”. Outro disse “educação no ensino superior é fazer com que os alunos leiam os textos”.


Minha opinião é…


Inspire seu aluno e assim ele contagiado por você vai ter desejo de aprender mais.

Leia também: Professora nota 10!