O que aprendemos com os animais?!

Eu tenho duas cadelinhas Dolly (Vira-lata, 3 anos) e Nika(Pinch, 3 meses). Na verdade não posso falar que elas são minhas… Mas como são do meu pai e do meu irmão, moram na nossa casa acabam sendo “minhas” tbm. O fato eh que desde que Dolly veio pra casa nós por muitas vezes nos surpreendemos com as suas “façanhas” sorrimos e certas coisas achamos incrível e engraçado(pode até ser coisa de “donos” babões). O fato é que muitas vezes os animais podem nos ensinar muito sobre as “coisas desta vida”.

Aqui no blog vou contar alguns “casos” rsrsrsr de minhas cadelinhas…

Ai vai o primeiro 😉

Semana passada, Nika que é muito danadinha e sapeca foi para o quintal e se melou toda de carrapicho¹ e lógico ficou agoniada, Dolly mais velha, mais experiente “sabendo” o quanto aquilo dói começou a tirar um por um, mordia com cuidado e tirava, isso fez pacientemente ate o último. Em quanto Dolly tirava Nika algumas vezes “chorava” pq mesmo com cuidado doía. Só que Nika é muito danada isso significa que não é a primeira nem a última vez que Dolly vai tirar.
Desde que Nika chegou (1 mês atrás) elas tem sido como irmãs, as vezes Dolly é muito mais que isso… quase uma “mãe”. Olhe que é preciso muita paciência pra aguentar uma cadelinha que chega pra “tomar conta do seu espaço” e Dolly pacientemente faz isso todos os dias.

O que essa historinha nos ensina?

Nem sempre nós pedimos nossos irmão mais novos… Pq os outros (+ velhos) nem essa chance tivemos.
O fato é que não escolhemos nossos irmãos, muitas vezes até já preferimos que eles nunca tivessem existido, as vezes não nos identificamos com eles pelo simples fato de sermos ou muito iguais ou muito diferentes. E olhe que eu falo com conhecimento de causa… hehehe sou irmã do meio o que o “povo” diz que “sofre” muito. Existe até um termo muito usado…”síndrome do filho do meio” antes que se pergunte eu não tenho, já tive.

O que quero dizer é que as vezes não ligamos para os nossos irmãos, fingimos que eles nem existem, brigamos, xingamos, como dizia meu irmão deduramos (relativo a dedo-duro)…. Mas no fundo, no fundo nossos irmãos podem ser os nossos melhores amigos, os melhores aliados, afinal ou dormem na cama ou no quarto ao lado.

As minhas cadelinhas conseguem ser amigas (olhe que são três anos de diferença), conseguem se ajudar, brincar e claro brigar… afinal irmãos brigam sim… na realidade todo mundo briga um dia… só não pode esquecer de fazer as pazes.

Então da próxima vez que vc quiser da um tapa no seu(a) irmão(a) dê a mão, ajude, proteja, as vezes até acoberte (nesse caso todo cuidado é pouco), tente amá-lo e caso seja necessário perdoe, lógico que tem horas que seu sangue vai ferver e vcs vão brigar, mais depois quando passar lembre-se de fazer as pazes.

Bem, as vezes irmãos são difíceis… e vc vai ter q ser muito paciente, vai ter de tirar os “carrapichos” por vezes e ainda eles vão chorar e brigar sem entender nada. São coisas desta vida..

Faça o melhor por seus irmãos eh só isso!

Ps: Não existem irmãos irreconciliáveis.

¹ http://www.cnpms.embrapa.br/noticias/mostranoticia.php?codigo=418

Anúncios