Não julgue

Não julgue um livro pela capa
Nem mesmo pelos “testemunhos” de quem já leu
Ouse ler a introdução
Mas, não fique só por aí
Se aventure nos capítulos seguintes
Dedique-se
Experimente refletir sobre o ponto do vista do autor
Coloque-se no cenário descrito
Finalmente, conclua o livro
E aí sim, dê a sua opinião
Compare com sua primeira impressão
Arisque-se a pensar diferente
Aí, possivelmente, seu julgamento vai ser diferente.

 Pessoas são como livros

2º Fase: Nova temporada do Coisas dessa vida

Olá Pessoas,

Pensei em fazer um super texto para voltar a publicar, como não é possível… quero apenas avisar que voltei…
Quero escrever e compartilhar…
Escrever sobre a vida, pra mim, é fantástico, porque me possibilita escrever sobre tudo que me encanta, me faz amar, me constrange, me faz doer, me faz sofre, me faz acreditar…tudo que me faz escrever!

Seja mais uma vez bem vindo e comente sempre. Não vou prometer longos textos, profundos e reflexivos, vou apenas escrever.

Para quem não sabe, agora sou mestranda (já alterei no perfil), por isso, quero logo esclarecer que, o blog NÃO se destina a textos científicos, no entanto, assuntos científicos certamente surgiram, e acadêmicos então… vão existir mais do que nunca, e claro, eu não tenho tempo… Assim, não vou prometer nada, vamos tentar um texto por semana.

Por outro lado, gostaria de informar que esse blog narra o desenvolvimento mental, físico, espiritual, intelectual, científico de uma pessoa… assim, não espere perfeição de ideias, opiniões, nem tão pouco da língua escrita, isso porque andei olhando os textos antigos e percebi que existem muitos erros de gramatica, perdoem. Prefiram as ideias, e olhem o ano, porque algumas evoluíram. Comecei esse blog em 2008, e hoje estamos em 2013, lembrando que não escrevi nada em 2012.

Alguns podem questionar o motivo de permanecer em um blog “velho” porque não criar um “novo” que reflita melhor a minha nova fase… Sobre isso eu penso que o que reflete uma fase é um texto, escrito em um dia, de um ano, assim, o blog representa sim meu desenvolvimento, meu crescimento, minha evolução.

Um aspecto interessante, eu não divulgo o blog para pessoas “amigas”, “queridas”, “familiares”, “conhecidos”, nem mesmo publico a propagada nas redes sociais, apenas a uns 2 amigos falei sobre o blog, outros amigos descobriram. Não vejo problema em alguém, quem quer que seja, que me conheça descobrir, só, até agora, penso que não tenho “necessidade” de convidar os amigos para ler o blog, isso às vezes é vantagem, outras é desvantagem. Mas é assim, que por enquanto acho melhor que seja.

O que me deixa muito feliz é sempre receber e-mails do WordPress informando dos comentários, fico feliz que pessoas comentem textos que foram escritos há 4 anos. Por essas e outras nunca pensei em “me livrar” ou “deixar” o blog, apenas estava de férias… quase sempre cuidando da minha carreira.

Algo que achei muito baca foi as mudanças feitas no perfil do WordPress para o melhor gerenciamento do blog, esta blogueira agradece. 

É isso! Amanhã tem textinho…

Abraços a todos!

Quem está no controle?

Depois de tanto tempo um post rápido.

Esse ano tem se caracterizado para mim como um ano de muitos altos e baixos, talvez por esse mesmo motivo mas nunca escrevi, uma hora tinha vontade de escrever, outra hora nem lembrava que o blog existia. Uma prova disso é que passei 60 dias com a faculdade em greve e não fins um post.

Como estava falando esse ano tem sido diferente do que imaginei, e até do que sonhei, mesmo assim a sensação não é de que estou perdida ou sem chão, é lógico que em alguns momentos me senti assim, mas não me sinto assim constantemente. Sinto que a vida muda, mas que Deus está no controle.

E sabe, mesmo quando na sua vida tudo virar de cabeça para baixo, ou quando você tiver lá em cima no clímax do sucesso, não esqueça que existe um Deus que está no controle. É claro que quando você está embaixo fica triste e revoltado, mas espere e seja paciente. E quando estiver em cima, não esqueça que por maior que seja o esforço humano é Deus que Dá a oportunidade. E assim viva sabendo que existe um Deus que está no controle.

‎”Deus dirige Seus filhos por um caminho que eles não conhecem; mas não Se esquece dos que nEle põem a confiança, nem os rejeita”. Ellen G. White

VOCÊ!

Você é LINDO!

Você é DOCE!

Você é FOFO!

Mas você é proibido.

Sabe o que é incrível?

Você mexe comigo de um jeito meigo.

Você é realmente muito bonito!

Você é alto!

Você é esbelto!

Você é delicado!

É uma pena, mas você é proibido!

Sabe o que é interessante?

Você desperta no meu coração algo.

Não! Eu não estou apaixonada por você, mas poderia.

Na verdade não, não poderia.

Você é muito concorrido e não estou disposta a entrar na fila.

Sabe o que é engraçado?

No fim de semana em que você descobriu algo novo em mim, que nem eu mesma sei o que é, você começou também a me olhar de um jeito mais amistoso e mais feliz.

Ahhh VOCÊ!

Que pena que Você é proibido, e mesmo que não fosse, como porque você é concorrido eu só queria um beijo,  aliás, dois beijos ou até três, quem sabe cinco, ou seis, mas só uma tarde já valeria pra beijar você (e olha, que sou bem contra a “ficar” por  “ficar”).

Mas mesmo isso, isso só aconteceria só apenas se você não fosse proibido.

Mas enquanto você é, mesmo não estando apaixonada , e nem querendo está, até porque ia doer demais , me contentarei em olhar e sorrir para Você.

 

Simplesmente porque…

Você mexe de um jeito terno comigo!

Editado em 01/12/2012 – Eu risquei praticamente tudo (MUDEI), só não apaguei porque a minha politica não permite.

Luta de leões

Os últimos dias têm sido cruéis, na verdade, nos últimos dias tenho até me recuperado. Então vou começar novamente…

As últimas semanas têm sido cruéis, era só uma ferida que quando começou a se fechar foi arrebentada, estourada, esfolada, e outra ferida se abriu, doeu tanto, e quando parece que começo a ver cicatrizes se formarem, tudo estoura novamente, foram três grandes ferimentos, absurdamente doídos, minuciosamente chorados pelo tanto que doeu. Perdi tanto em um mês que não consigo nem calcular, perdi sonhos, e talvez sonhos sejam incontáveis. Por esse motivo não posso calcular. Perdi chances também, e chances únicas, chances que lutei com todas as minhas forças para agarrar, mas passou, e como passou.

Se você é cristão como eu, sabe que nesses dias difíceis, aos quais o próprio Jesus nos alertou quando esteve aqui na terra dizendo que no mundo nós teríamos aflições (João 16:33), o melhor companheiro é Jesus, e o melhor livro é Salmos. Li muitos, com uns chorei mais, em outros me confortei, mas uma coisa sei “…Eu porei a minha esperança em Deus e ainda o louvarei. Ele é o meu Salvador e o meu Deus” (Salmos 42:11). Eu sei que Deus sabe tudo, e que agora eu não entendo, mas eu confio em Deus, mesmo sem entender. E as feridas começam a fechar até porque a vida não para!

E nesse de “bola para frente” resolvi (entre outras coisas) ver uma série que eu gosto muito Grey’s Anatomy(não recomendo, mas gosoto), fazia um tempão que não sentava para assistir um episódio, e comecei de onde tinha parado, um dos episódios que assisti foi o 12 da 4ª temporada (faz tempo…), neste os residentes finalizam uma competição para ver quem é o melhor da cirurgia, e somam pontos, Grey (Ellen Pompeo) vence, e ganha um bip especial, Izzie (Katherine Heigl) perde depois de gastar milhares tentando diagnosticar algo mais em um paciente que dá entrada com um tornozelo doente e que têm só mais uma gripe. No finzinho Dr. Richard (James Pickesns) conversa com Izzie e diz à frase que todo mundo que lutou muito e perdeu algo merece ouvir, e que me ajudou mais um pouco. Dr. Richard disse algo assim:

A competição é uma luta de leões. Portanto, erga a cabeça, aprume os ombros, e ande com orgulho. Não lamba suas feridas, comemore-as. As cicatrizes que você tem são as marcas de um guerreiro. Você esteve em uma luta de leões. Só porque você não venceu, não significa que não saiba rugir.

PS:Escrito na última semana de julho/2011.

Cair dói

Quando eu era criança, eu brincava muito, corria muito, era uma meninona, às vezes ainda sou assim “meninona”. E eu brincava exageradamente, corria exageradamente, vivia exageradamente, ser espontânea tem seu ônus, mas quando criança é praticamente só bônus.

Durante minha infância nos mudamos para uma casa maior onde tínhamos mais espaço, todos os dias eu brincava à tarde com o meu irmão. Entre outras brincadeiras, jogávamos principalmente futebol, ou melhor, “travinha” (duas traves, dois jogadores, uma bola), ou melhor, ainda, como costumávamos dizer “fut-lasca”(o mesmo que travinha mais muitos chutes na bola e nas “canelas”), jogávamos uma partida de 10 gols, ou 2 tempos de 10 minutos, era incrível, o outro jogo que brincávamos muito era “frescotênis” (duas raquetes de frescobol, uma bola de tênis, e uma rede improvisada), nossas tardes eram muito divertidas, estudávamos até as 15:30 e depois só lazer, acho que isso até uns 11 anos.

Algumas vezes eu corria, caia e me machucava, e doía, como doía, aí eu chorava e como chorava. Mas no outro dia voltava a correr e me machucar, porque se machucar faz parte da vida, nós sempre vamos nos machucar, o importante é não parar de correr. Cair dói, se machucar dói, mas é preciso continuar a correr,

Quando eu era criança eu corria, caía me machucava e chorava, hoje eu continuo “correndo”, “caindo”, me machucando e principalmente chorando.

Ainda que você caía, se machuque e chore, não deixe de correr. Cair, você vai sempre, chorar também, só não desista nem se esqueça de continuar a correr!