Oieee!!!

Faz tanto tempo que não escrevo, mas quero logo dizer que não pretendo abandonar o blog. Não ando escrevendo porque ainda estou me acostumando com minha nova rotina em que não sobra tempo pra quase nada.

Mas pretendo voltar a escrever nessa nova semana.

Hoje ainda não né, porque hoje eu vou aproveitar pra fazer alguma coisa no meu sábado a noite.

Beijinhos!

Boa Semana!

Bom Sábado à noite!

Anúncios

Não ao trote!

troteÉ Senhoras e Senhores, hoje fui surpreendida com o “trote” que recebemos.

Logo na primeira semana do curso de administração (há + ou – um ano atrás) fiquei sabendo que política do CA do curso era o “Trote Cidadão” que visa fazer com que o calouro faça uma ação social e contribua para a sociedade, assim ele é inserido em um novo ambiente onde ele é um agente social benéfico. Que se preocupa com a sociedade. Plantando uma arvore, vendendo sucos energéticos, doando sangue, limpando a praia, recolhendo alimentos para doação e etc.

Devo dizer que dou o maior valor a esse tipo de trote quando não apresenta agressões, nem humilhações, e brincadeiras de mau gosto.

O trote comum não marca passagem nenhuma. Pelo contrario estimula o calouro a praticar novamente o trote com os novos calouros e assim sucessivamente. Oficializa a hierarquia entre calouros e veteranos. E não venha me falar que é apenas uma brincadeira, o que na verdade só tem graça para os veteranos. Quer um exemplo?  Há uns meses atrás conversava no msn com  um amigo e falava contra o trote, ele me disse mais ou menos assim: “o que é que tem uma tintinha na camisa, é brincadeirinha, eu passei todo mundo tem de passar”. Parece na verdade que o calouro não superou a humilhação que sofreu e quer se vingar do novo calouro agora que ele é veterano.

Mas vamos falar de hoje, cheguei à universidade como sempre meio desconfiada com receio do trote. (Ontem fiquei em casa repousando por causa da cirurgia). Vi logo pela grade que já existiam alguns feras sendo submetidos a ele. Eles estavam sendo pintados e estavam presos por uma corda. Cheguei à minha sala, esperei um pouco e chegaram os alunos do CA dizendo que agente saísse da sala porque eles iam arrumar pra agente um café da manhã.  Saímos muito desconfiados. Enquanto esperávamos numa praçinha no nosso bloco mesmo presenciamos mais calouros sendo ridicularizados. Pintados, amarrados, em filas, descalços, cantando músiquinhas de jardim de infância e sendo obrigados a chamar as pessoas a ir ao banheiro (invenção de veteranos). Não! Não venha me falar que isso é brincadeira.

Quando voltamos pra a sala tinha um café da manhã e eles conversaram com agente sobre “O trote” e disseram que têm uma proposta diferente, tratar bem o calouro, eliminar as diferenças, e fazer um calouro mais consciente do seu papel na sociedade.

Um curso humanizado, isso é muito bom.

Da próxima vez que você for pintar um calouro, jogar farinha ou submete-lo a qualquer tipo de humilhação pense no que você ganha e aprende com isso. Pense qual o bem que isso trás.

Primeiro dia de aula de psicologia

O que eu fiz hoje?

Hoje eu:

Acordei as 07:50.

Tomei banho.

Tomei um copo de leite com os 3 comprimidos(2 para a cirurgia e 1 para alergia).

Penteei os meus cabelos.

Me vesti.

Escovei os dentes.

Passei cremes e perfume.

Fiz minha meditação (Leitura de mensagem com texto bíblico).

Entrei no carro.

Fui pra a universidade.

Desci do carro.

Dei tchau a meu pai e um beijo na minha mãe.

Comecei a procura por minha sala.

Sala 510, não tinha em nenhuma placa.

Procurei mais.

Sentei num banco.

Liguei para minha amiga R (pedi o número da amiga dela que vai estudar comigo).

Liguei para a amiga da minha amiga R (que não atendeu).

Liguei para minha amiga D que faz 6º período (eu acho)(ela não atendeu).

Pensei: O que vou fazer?(É que todo 1º dia de aula esqueço que existem funcionários e que agente pode perguntar pra eles).

Perguntei pra um funcionário (ele me disse onde era a sala).

Entrei na sala (fiquei morta de vergonha, pois a sala já estava cheia. Minha demora em pedir informação fez com que eu perdesse alguns minutos).

O professor falou desenfreado 1hora.

O povo do CA levou agente pra uma recepção (foi legal sem trotes).

O povo do CA levou agente pra dar um lanchinho.

Agente foi pra outra sala pra escutar a coordenadora do curso.

Fui até a coordenação pra ver se cancelava a matricula de 2 disciplinas (que são a tarde).

Fui pra parada.

Peguei um ônibus.

Fui pro trabalho da minha mãe.

Saindo de lá quase caí da escada (acabei jogando meu caderno 2 andares mezanino abaixo).

Entrei no carro.

Cheguei em casa.

Entrei.

Almocei.

Fiz outras coisas (não deu tempo de tomar banho).

Entrei no carro.

Desci do carro.

Entrei na faculdade.

Assisti 2 aulas de economia brasileira (essa disciplina é bem legal, quase historia do Brasil).

Fui até a biblioteca.

Fui até a CORE.

Fui até a coordenação do meu curso.

Sai do IF.

Entrei no carro.

Desci na clínica.

Esperei, esperei, esperei.

Entrei no consultório.

Apertei a mão do médico.

Disse que estava bem.

Sentei na cadeira do dentista.

Levei a anestesia (um monte de picadinha).

O dentista tirou meus 2 terceiros molares esquerdos (os direitos tirei faz uns 21 dias) (quase dormi escutando a conversa do dentista com minha mãe sobre educação de filhos).

Peguei os 2 dentes (pra minha amiga C que faz odonto, já dei mais de 8 dentes pra ela).

Peguei os 2 atestados (pras minhas faculdades).

Saí meio tonta.

Entrei no carro.

Cheguei em casa.

Coloquei água gelada molhada na gaze.

Coloquei na boca.

Tomei 3 comprimidos.

Botei compressa no rosto.

Dormi.

Acordei.

Tomei sorvete.

Assisti tv.

Tomei sorvete.

Vim para o pc (minha mãe já me mandou ir deitar pra não inchar e tal).

Li meus emails.

Comecei a escrever.

Tc no msn.

Tou terminando de escrever.

Isso foi basicamente o que eu fiz hoje (é lógico que faltam muitos detalhes).

Agora vou:

Tomar sorvete.

Escovar os dentes.

Ler (se der).

Colocar compressa de gelo.

Tomar remédio

E enfim, DOMIR!

Esse foi meu dia.

Depois escrevo mais!

Brincando de ler o [EU] livro

Olá!

Vou postar bem rapidinho.

Sabe o teste do livro que o meu deu “Antologia poética” de Drummond. Eu resolvi pegar o livro.

Como não sou muito do estilo(pelo menos é o que eu penso) não pretendo ler todo. Desde que peguei li alguns poemas e inclusive achei um que gosto muito, acho bonitinho, e engraçado. Li pela primeira vez quando fazia a quinta série.

Eu acho que esse poema  é uma verdade, já vi historias bem parecidas perto de mim.

Aí vai:

Quadrilha

João amava Teresa que amava Raimundo
que amava Maria que amava Joaquim que amava Lili
que não amava ninguém.
João foi para os Estados Unidos, Teresa para o convento,
Raimundo morreu de desastre, Maria ficou para tia,
Joaquim suicidou-se e Lili casou com J. Pinto Fernandes
que não tinha entrado na história

Legal, né?

Vou ler mais e separar uns pra postar aqui.

Boa noite!

PS: Eu pretendia postar antes das 00h.

Blog

Sem dúvidas essa é a vez que passei mais tempo sem postar/Mas a partir de amanhã eu vou voltar a escrever/Pelo menos esses são meus planos/Dá uma saudade/Tenho até a idéia de uns textos e tal/ Beijos e obrigada pelas visitas.